CotidianoEntretenimentoMaranhãoPolítica

Prefeitura celebra Dia do Contador de Histórias com atividades na rede municipal de ensino

Encantamento, diversão e música marcaram as comemorações pela data, celebrada em 20 de março; equipe de contadoras,criada na gestão do prefeito Edivaldo, receberá premiação nacional em São Paulo pelo trabalho realizado nas escolas do município

 

Contadoras da rede municipal durante atividade em escola da Prefeitura de São LuísNo dia em que se comemora o Dia do Contador de Histórias, 20 de março, a equipe de contadoras da Prefeitura de São Luís levou encantamento em forma de historinhas e músicas para as crianças da Unidade de Educação Básica (U.E.B.) Emir Justino, no São Bernardo. A equipe, vinculada à Secretaria Municipal de Educação (Semed) por meio da Coordenação do Livro Infantil, criada na gestão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior, ganhou reconhecimento nacional e receberá, em abril, o Troféu Baobá, em cerimônia no Centro Cultural Teatro Leopoldo Froes, em São Paulo.

O trabalho desenvolvido pelas contadoras acontece ao longo do ano, com apresentações nas escolas da Educação Infantil da rede municipal. Para o secretário Moacir Feitosa, as histórias são instrumentos importantes na formação das crianças. “Elas estão na fase de desenvolver o lado cognitivo, processando informações e as histórias são instrumentos importantes para a aprendizagem como um todo. Estas ações são sempre estimuladas pelo prefeito Edivaldo” disse o secretário.

Para a gestora da escola, Diangela Nunes dos Santos, este é um momento de a criança experimentar sensações e aprender. “As historinhas são de grande importância para o repertório das crianças. Com esta vivência, eles experienciam sensações diferentes, saberes diferentes, por meio das cores, músicas e magia”, pontuou.

A coordenadora pedagógica Neuza Torres Lopes, enfatiza que esse momento é uma fonte de aprendizagem. “A criança utiliza muito o imaginário, e por meio das historinhas isso é muito mais desenvolvido. A criança viaja, brinca e aprende a linguagem oral e escrita”, disse.
E a pequena Loren Sofia, 4 anos, confirma. “Gostei muito da história da vaca Mimosa. Ela queria ficar bonita com a flor, a flor é linda, mas a vaca já era bonita”, disse repetindo a lição aprendida com a historinha.

RECONHECIMENTO

O Troféu Baobá, premiação instituída pelos Coletivos de Contadores de Histórias Grupo Paulistano Línguas Encantadas e Encantantes e Grupo Paulista Contadores do Reino, distingue anualmente personalidades da arte narrativa, movimentos, coordenadorias, escritores e editoras que, com suas práticas, fortalecem as artes literárias e narrativa, contribuindo para a valorização do livro e despertam o gosto pela tradição oral.

Para a coordenadora do Livro Infantil, Sinara Coelho Lima Rodrigues, o troféu é o reconhecimento do trabalho desenvolvido pela equipe. “Desenvolvemos um trabalho com planejamento, dedicação e amor, e estamos colhendo os frutos com este reconhecimento nacional. Estamos trazendo o Troféu Baobá para as crianças da rede municipal”, pontuou.

A contadora Rosângela Souza, que também confecciona todos os elementos utilizados para a contação, como fantoches e demais recursos, concorda com Sinara em que este é o reconhecimento do trabalho delas. “É uma vitória, o reconhecimento do trabalho que desenvolvemos. Tudo é feito com muito amor e preocupação na escolha das histórias, porque elas têm que ser divertidas e também instrumento de aprendizado adequado à idade delas”, lembrou.

As contadoras da rede municipal vão fazer a abertura da solenidade do Troféu Baobá. Na ocasião, elas vão apresentar três lendas que contam um pouco da história do Maranhão. São elas: “A lenda da serpente encantada”, “A lenda do Olho d’Água” e “A origem da farinha”, de origem dos índios Tenetehara.

CONTADORAS

A equipe de contadoras de histórias da Semed é composta por Sinara Coelho Lima Rodrigues, coordenadora do Livro Infantil; Rosângela Teixeira Souza; Luciane Silva de Souza Cunha; a estagiária de Pedagogia, da Universidade Estadual do Maranhão, Márcia Pinheiro e Raissa Diniz Borralho Serejo. Esta última, faz o diferencial desta equipe, pois é uma contadora muda, que faz a contação na Língua Brasileira de Sinais (Libras).

 

comentários

comentários

Tags

Postagens Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

Adblock Detected

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios