CotidianoEntretenimentoNegócios

Artista que criou Momo jogou obra no lixo: “Está morta”

A escultura que se tornou sinônimo de alarde em todo o mundo não existe mais

Todo mundo já viu a figura assombrosa de Momo, que está aterrorizando famílias pelo mundo inteiro, mas pouca gente sabe o que realmente é a criatura.

A imagem trata-se de uma escultura do artista japonês Keisuke Aiso, de 46 anos, e apareceu pela primeira vez para o público em 2016, quando foi exibida numa exposição no Vanilla Gallery, em Tóquio, capital do Japão. Mas agora a obra não existe mais. Momo foi jogada no lixo.

Ela não existe mais, não foi feita para durar. Estava desgastada e joguei fora. As crianças podem ter certeza de que Momo está morta. Ela não existe e a maldição se foi”, disse o artista ao jornal britânico The Sun. “Eu tenho uma criança pequena, então entendo como os pais estão preocupados”, afirmou Aiso.

A escultura fazia parte da série Aversão criada pelo artista.

As imagens de Momo começaram a circular em 2017 em países como México e Japão. Usuários mandavam mensagens macabras e desafios parecidos com o Baleia Azul via WhatsApp, usando a foto da criatura. No Brasil, a figura viralizou após aparecer em vídeos onde a personagem ensina, passo a passo, como as crianças devem fazer para se matarem cortando os pulsos.

Momo-priscila Petrus

Desafio Momo
No ano passado, surgiu o Desafio Momo pelas rede sociais. Nas plataformas, o jogo desafiava os usuários a entrarem em contato com a entidade. À época, policiais argentinos acreditavam que o jogo poderia ter influenciado uma garota de 12 anos a cometer suicídio.

Psicólogos pedem para os pais ficarem atentos a alguns sinais dos filhos, como isolamento, mudança de comportamento e tristeza, além de sempre conversarem com eles de maneira clara e objetiva.

comentários

comentários

Tags

Postagens Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

Adblock Detected

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios