Boeing que caiu na China teve acidente no Brasil em 2006, com 154 mortes

0
https://economia.uol.com.br/todos-a-bordo/2022/03/21/737-800-737ng-boeing-queda-aviao-modelo-china-acidente.htm
https://economia.uol.com.br/todos-a-bordo/2022/03/21/737-800-737ng-boeing-queda-aviao-modelo-china-acidente.htm

O modelo de avião Boeing 737NG, como o que caiu hoje na China com 132
pessoas a bordo, registrou outros dez acidentes fatais desde o início de suas
operações, em 1997, segundo levantamento da fabricante do avião, a Boeing.
Um deles foi no Brasil —a queda de um avião da Gol, em 2006.
O 737-NG não tem nada a ver com o 737-Max, que chegou a ser suspenso por
diversos países após falhas técnicas provocarem acidentes com centenas de
mortos.

Avião da Gol colidiu com jato executivo
No Brasil, o voo 1907 tinha decolado de Manaus e se dirigia a Brasília, quando
houve a colisão em pleno ar com o jato executivo Legacy 600, da Embraer.
A asa esquerda do avião da Gol ficou seriamente danificada, ocorrendo a
queda em seguida, em uma região de mata, no Mato Grosso. O Legacy 600
conseguiu pousar em uma base militar minutos depois.
Todas as 154 pessoas a bordo do voo 1907 morreram na tragédia, o que faz
do acidente o segundo pior com o modelo 737NG, em número de mortes.

Apesar dos acidentes, a soma de ocorrências faz do modelo um dos mais
seguros entre os aviões comerciais.
São consideradas para essas estatísticas acidentes graves, como quedas ou
colisões, nos quais há mortes e perda total da aeronave.
De acordo com a Boeing, foram 0,09 acidentes graves com fatalidades a cada
um milhão de decolagens até o fim de 2020, período que o estudo abrange.
Não há registro de outros acidentes do tipo com o avião em 2021, além do
ocorrido hoje.
O 737NG que caiu hoje na China é da variante 737-800. Não tem nada a ver
com o Max, envolvido em diversas polêmicas. O Max teve uma taxa de 7,12
acidentes graves a cada um milhão de decolagens desde o seu lançamento,
segundo a Boeing.
Ele está proibido de voar na China desde 2019, na esteira dos acidentes
envolvendo o avião, na Indonésia e na Etiópia, o que gerou a maior crise da
Boeing em mais de cem anos.

Pior acidente foi na Índia, em 2010

O acidente com o maior número de mortes envolvendo o 737NG foi com um
avião da companhia Air India Express, em maio de 2010, com 158 mortes. Oito
das 166 pessoas a bordo sobreviveram.
O avião ia de Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, para Mangalore, no sul da
Índia, e pousou da maneira errada, saindo da pista. Ele bateu em um morro e
pegou fogo.

Derrubado por míssil no Irã em 2020
Em janeiro de 2020, um 737-800 (variante do 737NG) ucraniano da Ukraine
International Airlines foi derrubado enquanto sobrevoava o Irã. Embora tenha
negado inicialmente, o Irã acabou assumindo a culpa pela tragédia.
Segundo o governo iraniano, um militar tomou uma decisão errada e disparou
o míssil por engano, matando todas as 176 pessoas a bordo.
Como o avião foi derrubado intencionalmente (mesmo que a decisão tenha
sido tomada por engano), ele não entra nas estatísticas de acidentes.

Versão moderna do clássico 737

O Boeing 737NG é uma versão modernizada do clássico 737, um dos aviões
comerciais mais vendidos do mundo. O “NG” de seu nome significa Next
Generation (Nova Geração), e ele também costuma ser chamado de 737 Next
Gen.
Esse modelo possui quatro variantes (737-600, 737-700, 737-800 e 737-900),
podendo acomodar de 110 a 210 passageiros, dependendo do tipo e da
configuração escolhida.
O 737-800, modelo que caiu na China hoje, tem 39,5 metros de comprimento,
12,5 metros de altura e envergadura (distância de ponta a ponta da asa) de
até 35,7 metros. Ele pode voar por até 5.440 km sem precisar fazer paradas,
com velocidade de cruzeiro chegando a até cerca de 850 km/h.

comentários

comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui