Cotidiano

Família pede ajuda para trazer corpo de brasileira morta em Portugal

Queríamos vê-la mais uma vez', disse a mãe de Camila Mendes, de 30 anos.

‘Queríamos vê-la mais uma vez’, disse a mãe de Camila Mendes, de 30 anos, assassinada pelo companheiro em Lisboa.

A família de Camila da Silva Mendes, de 30 anos, luta para trazer o corpo da filha brasileira, morta em Arruda dos Vinhos, distrito da capital Lisboa, em Portugal.

A vítima foi morta pelo companheiro, de 38 anos, em casa.

O crime ocorreu na terça-feira, 1, mas a família só ficou sabendo na quinta-feira, 3, por meios de ligações de conhecidos locais da vítima.

Segundo informou a Polícia Judiciária (PJ), através da Diretoria de Lisboa e Vale do Tejo, por meio de nota, a brasileira foi atingida com um golpe letal de arma branca.

Ainda de acordo com as autoridades locais, o autor colocou o corpo em uma mala e o abandonou em mata próximo ao local do crime.

“É muita dor no nosso peito, que não vai passar tão cedo”, diz Dalva Lucia, mãe da vítima que reside no bairro Bethânia, em Ipatinga (MG), e que luta para trazer o corpo da filha ao Brasil.

A mãe de Camila contou que sua filha sonhava em morar fora do Brasil e por isso foi com o companheiro para Portugal.

Segundo Dalva, Camila estava morando em Portugal há 2 meses e que pretendia proporcionar um futuro melhor a filha dela, de 10 anos, que atualmente mora com a avó.

“O sonho da minha filha era ir pra fora do Brasil e dar uma vida melhor para a filha de 10 anos dela, que mora comigo.

Ela dizia: ‘Mamãe, há muito tempo eu sonhava em ir embora’”, conta.

A polícia suspeita que a brasileira tenha sido morta por motivos passionais.

A família acredita que a motivação pode ter sido ciúmes. De acordo com a família, a polícia portuguesa informou que prendeu o autor, horas após o fato, em uma área de vegetação próxima ao local onde ele teria deixado o corpo de Camila.

“O crime aconteceu dentro da casa onde eles moravam. Ele tentou ocultar o corpo usando uma mala que ele teria comprado com o dinheiro da própria vítima.

Recebemos informações também de que a polícia conseguiu prendê-lo horas depois”, disse Werleis Silva, irmão de Camila.

Traslado
Ainda segundo o irmão da brasileira, os valores do orçamento com a funerária e com IML de Portugal para o translado da vítima giram em torno de R$ 30 mil, mas a família não tem condições de pagar.

Existe a opção de enterrar o corpo em Portugal, o que custaria em torno de R$ 16 mil, valor também muito alto para a família.

Sem condições financeiras para realizar o translado do corpo de Camila, a família criou uma conta nas redes sociais para arcar com os custos do processo.

“A gente gostaria de trazer o corpo para Ipatinga para dar o último adeus. A família está lutando por isso, fazendo campanha e pedindo ajuda a todos que puderem nos ajudar.

Esse é o nosso desejo. A gente sabe que a justiça já está sendo feita, tanto a justiça dos homens quanto a de Deus”, diz Dalva Lúcia.

“Não estamos nos conformando com essa situação e quem está nos dando forças é Deus.

Agora, nós queremos que todos dessem um apoio e nos ajudassem a trazer o corpo dela para o Brasil, para vermos ela mais uma vez”, lamentou a mãe da brasileira.

Feminicídio
Desde 2015 existe uma lei que considera o feminicídio crime hediondo com pena de 12 a 30 anos de prisão.

Feminicídio é o homicídio de mulheres como crime hediondo quando envolve menosprezo ou discriminação à condição de mulher e violência doméstica e familiar. A lei define feminicídio como “o assassinato de uma mulher cometido por razões da condição de sexo feminino”, e a pena prevista para o homicídio qualificado é de reclusão de 12 a 30 anos.

comentários

comentários

Postagens Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo protegido.
Close

Adblock Detected

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios