CotidianoPolítica

‘Foi um crime político’, diz procurador-geral de Justiça do Rio sobre caso Marielle

Marielle

[dropcap]O[/dropcap] procurador-geral do Rio de Janeiro, Eduardo Gussem, se reuniu nesta quarta-feira com familiares da vereadora Marielle Franco e representantes da Anista Internacional. O encontro, realizado na véspera de completar três meses da morte da vereadora e do motorista Anderson Gomes, teve como objetivo cobrar respostas do Ministério Público do Rio (MPRJ) sobre as investigações.

MARIELLE FRANCO-Priscila Petrus
Durante a reunião, que teve a participação dos pais de Marielle, Marinete Silva e Antônio Francisco Silva; da viúva Monica Benício; e da coordenadora de pesquisa da Anistia Internacional, Renata Néder, Gussem reafirmou que já foi criado um grupo específico para acompanhar os trabalhos da polícia, e disse acreditar que o crime foi político e premeditado:

– Foi um crime executado de uma forma bem planejada, muito pensada, muito premeditada. O crime é extremamente grave por que atenta contra os direitos humanos. Sabemos que, sem dúvida alguma, foi um crime político para calar uma das maiores, se não a maior, representante de direitos humanos hoje em dia do nosso país. Tentaram calar a comunidade. As autoridades têm o compromisso da busca pelo esclarecimento com três, com quatro, com cinco meses. Não é encontrar qualquer culpado. É encontrar o verdadeiro culpado. – disse Gussem

 

comentários

comentários

Tags

Postagens Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo protegido.
Close

Adblock Detected

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios