Política

“Lula poderá concorrer e tomar posse”, diz advogado, afirmando que ex-presidente nunca cogitou em desistir da disputa

Advogado Luiz Fernando Casagrande Pereira fala da disputa judicial que PT terá, caso Lula seja impedido pela Lei da Ficha Limpa

[dropcap]A[/dropcap] uma semana da convenção nacional do Partido dos Trabalhadores (PT) que definirá o candidato do partido na disputa ao Palácio do Planalto, uma declaração animou a militância petista em todo o país.

O advogado Luiz Fernando Casagrande Pereira, um dos responsáveis pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na Justiça Eleitoral, afirmou o petista nunca fez sequer uma pergunta sobre a possibilidade de substituição de sua candidatura pelo PT.

Segundo o advogado, considerado um dos maiores especialistas em direito eleitoral do país, “Lula poderá concorrer e, vitorioso, aguardar até a data da diplomação, em dezembro, pelo resultado da batalha jurídica de seus advogados pela garantia de seus direitos nos tribunais.”

Lula-Priscila Petrus
Lula divulgou em seu twitter defesa de advogado a sua campanha, mesmo condenado

 

“A não ser que ele disfarce muito bem, estou convencido de que a posição dele é clara de não só registrar a candidatura como de ir até o final”, disse Casagrande.

“Ele nunca fez nenhuma pergunta sobre a substituição. Para mim ele nunca cogitou. Nestas interlocuções que tive nunca fiquei com dúvida em relação ao propósito dele”, afirmou o advogado.

As declarações de Luiz Fernando Casagrande Pereira foram feitas nesta quarta-feira, 25, numa entrevista à TV do jornal O Estado de S.Paulo, e publicada no perfil de Lula no Twiiter e no site Brasil 2477.

Lula ou Haddad ?

Lula está preso na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR), desde o dia 7 de abril. Mesmo assim, liderada todos as pesquisas de intenção de votos e todos os cenários de segundo turno.

A maioria do PT defende a manutenção do seu nome para concorrer nas eleições de outubro deste ano a um terceiro mandato de presidente da República. Outra parte do PT defende o nome do ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad. Há quem defenda, também a composição com uma candidatura de Ciro Gomes, do PDT, numa chapa Ciro-Haddad.

Disputa judicial

O advogado do ex-presidente disse, ainda, que a disputa judicial em torno da candidatura de Lula pode se estender até depois de sua eventual vitória no pleito,

“Ele pode invocar o direito de ter o nome na urna como estes 145 prefeitos (que tiveram registros negados em 2016 mas conseguiram se eleger) e se ganhar a eleição, até a diplomação, que só deve ocorrer em meados de dezembro, ele pode reverter a condenação”, explicou.

Lei Ficha Limpa

Segundo o Luiz Fernando Casagrande Pereira, caso o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decida barrar Lula com base na Lei da Ficha Limpa, o PT terá uma encruzilhada no dia 17 de setembro, quando termina o prazo para a troca de candidatos à Presidência.

Até essa data o partido vai ter que escolher entre substituir Lula ou recorrer ao STF. Na segunda hipótese, existe chance legal de o nome do petista, líder nas pesquisas, figurar nas urnas eletrônicas, mesmo preso. Em caso de vitória, a eleição ficaria então sub judice até a diplomação.

(Por Gil Maranhão. Agência Política Real. Edição: Genésio Jr.)

comentários

comentários

Tags

Postagens Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo protegido.
Close

Adblock Detected

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios