SEMANÁRIO’ ”JP TURISMO”, NO JORNAL PEQUENO/ NA COLUNA DATA VÊNIA DO ADVOGADO MOZART BALDEZ

0

O MARANHÃO É AQUI MESMO: VALE TUDO PELA OAB/MA!

Advogado recém-formado em São Luís – MA, recebeu a carteira da Ordem dos Advogados do Brasil. Pensava que o novo posto lhe faria abraçar o mundo. E que a riqueza era questão de tempo, já que a profissão era rentonsa. Saiu da faculdade com essa equivocada impressão.

Como sempre a família gastou tudo que tinha e que não tinha para formá-lo na universidade particular. No final do curso, não poupou esforços econômicos para patrocinar os comes e bebes com amigos e parentes. Parecia até que havia ganho um premio de loteria. Era o único filho e, portanto, o orgulho de todos. Foram muitos banquetes e comemorações, até que a realidade bateu a sua porta.

O jovem advogado não conseguia emprego e por conseguinte não tinha renda. Aos poucos foi perdendo o entusiasmo e se desesperando. Em certo momento começou a duvidar até da qualidade de sua formação. Tudo estava muito difícil e as opções eram fazer concurso ou ir aventurar na advocacia. Sem pestanejar foi logo para a labuta.

Comprou imediatamente uns cinco ternos novos, com dinheiro emprestado. Afinal , entendia que na primeira causa que pegasse, resolveria a sua dívida e adquiria um guarda roupas de grife. Para completar, alugou uma sala chique e mobiliada, num bairro de classe média, e lá instalou o escritório. Motivado pelas promoções comerciais tentadoras, adquiriu em suaves prestações um celular top e um notebook. Comprou um carro mil , zero Km, sem entrada, financiado em 72 prestações.
Seu primeiro ato como advogado foi fazer um cartão de visita personalizado, e colocar uma placa no imóvel: advogado trabalhista. Seu primeiro cliente foi um vizinho do bairro. Jogaram futebol quando crianças na rua. O ‘’reclamante’’ trabalhou dois anos, recebendo menos que o salário mínimo, sem direito a férias e décimo terceiro salário, horas-extras e sem depósito do FGTS. – ‘’Tudo bem, disse o advogado recém formado ao cliente. Isso é uma barbada ’’. Vou resolver essa questão sem muitos problemas e rápido. Aí começou a primeira decepção.

Esse e outros processos foram se avolumando no seu escritório e o dinheiro não entrava para pagar as despesas básicas e para a sua subsistência, tampouco para o pagamento de prestações dos investimentos, inclusive aluguel do prédio. Aos poucos foi descobrindo que na Justiça do Trabalho em São Luís , magistrados não marcam audiências para o período da tarde e que nas sextas-feiras é uma espécie de FERIADO SAGRADO, no calendário daquela justiça especializada, já que não tem conciliação e nem juiz togado.

Cansado de tanto esperar por decisões judiciais que quando chegavam eram tardias, resolveu precipitadamente mudar de área. Foi atuar no cível e no criminal. Acordava todos os dias bem cedo, como de praxe, e em seu veículo, já com as prestações atrasadas, dirigia-se ao Fórum do Calhau. Sem conhecer bem a área, ficava rodando que nem louco à procura de um lugar para estacionar. Revezava seu dilema com sol e chuva. Lá até hoje não tem abrigo.

Ao chegar na entrada do fórum, pediram- lhe crachá para adentrar aquela repartição, antes de passar na catraca: foi logo ouvindo que a carteira da Ordem não servia. calma doutor, disse o segurança: O Presidente da OAB/MA, à época, já havia concordado com tudo, e o pior, ao invés de protestar contra a medida, fazia era vender o cartão de passagem. Ficou indignado. – ‘’Ora, meu Deus, pagar para trabalhar, se já pagou uma anuidade salgada?”.Tudo bem. Não adianta reclamar.

Passado um dia foi na Ordem reclamar pelo imposto do crachá. Mas não adiantou, foi voto vencido. Começou então a trabalhar nas novas áreas. Na primeira audiência, o juiz marcou para 08hs e chegou às 10hs. Na segunda, o juiz mandou avisar que não viria, sem dizer o motivo.

Na terceira, o magistrado estava também ausente, fazendo curso de tiro e defesa pessoal. Por último, numa sexta-feira, foi tentar ganhar um troco no interior do Estado, e ao chegar na comarca, o serventuário foi logo avisando: ‘’hoje não tem juiz na casa, é sexta-feira, dia de TQQ’’. E ele indagou: – ‘’o que é isso’’. No que lhe foi respondido que ‘’TQQ’’ são aqueles juízes que trabalham terça, quarta e quinta-feira e nunca são punidos no Maranhão.

A verdade é que o advogado acabou sentindo saudades da Justiça do Trabalho, que ele pensava ser a pior do Maranhão. Mas agora é tarde. Não tem como ficar mudando toda hora de especialidade.

Como única alternativa foi procurar o presidente da OAB MA para combater a morosidade da justiça e demais mazelas. O presidente mais gordo do que o signatário, disse que aquilo era assim mesmo, e que advogado novo sofre no início de carreira, mas depois passa. O certo é que nunca passou.

Certo dia , já desanimado com o exercício da profissão, foi chamado para uma reunião de um tal grupo RENOVAR e depois MUDANÇA . Ficou encantado com as propostas. As eleições se aproximavam e por tanta eficiência, os dois movimentos se fundiram, passando a ser chamado de RENOVAR PARA MUDAR. Ficou cheio de esperança. Agora a mudança é pra valer, dizia ele.

O jovem líder da oposição, atual presidente e o seu vice, chamavam o gordo, na época passada, e sua candidata à sucessão e demais integrantes de chapa da situação, de retrógrados, elitistas, defensores dos empresários da advocacia, cobradores de crachás, amigos do judiciário e omissos no quesito morosidade da justiça.

O gordo lançou uma chapa favorita, representada por uma de suas principais auxiliares, apesar de não ter carisma. Mas quem acabou vencendo foi o ‘’garotão’’. Não houve resultado prático com o movimento da renovação e da mudança. O vice do garotão, o professor, rachou a Ordem em vários pedaços. Queria porque queria ser presidente e a governabilidade foi comprometida. Ele e seu grupo eram contra a reeleição do ‘’artista’’. Resultado : NADA MUDOU e a instituição ficou desmoralizada e sua importância minimizada pelo judiciário !

O advogado lamentou a baixaria nos embates das eleições de 2014 e dependurou os livros. Foi para a Itália tentar uma vida melhor em outra profissão. Não teve mais nenhum contato a não ser com a família e esqueceu que um dia foi advogado de tantas marcas negativas.

No final da semana passada, ele chega de férias em São Luís, para rever parentes e amigos e ainda no aeroporto comprou o jornal pequeno. O taxista que ele contratou para levar-lhe para o hotel ficou indignado porque ele resolveu sentar para fazer a leitura atenta e completa daquele matutino.

Qual não foi sua surpresa: a manchete que o jornal estampava dava conta de que cinco chapas concorriam ao pleito da Ordem para o triênio 2019 a 2021. Dando destaque primeiro para a chapa 4, liderada pelo garoto da RENOVAR, eleito no pleito passado e que segundo a matéria, não pertencia mais ao grupo Mudança. Com a ressalva de que o RENOVAR recebeu por empréstimo dois reforços do gordo, que na última eleição foram derrotados por esse mesmo grupo.

Pensativo, a cabeça do advogado começou a ferver tipo radiador de carro em alto aquecimento. Piorou ainda mais quando ele perguntou quem eram os líderes da chapa 2? Quando soube que o vice do RENOVAR PARA MUDAR, que tentava uma carreira solo, houvera se aliado com um inscrito da OAB MA, que não advoga e com o gordo. O cara quase pira. Mas a matéria ainda acrescentou que um ex presidente da CAAMA, que publicamente já havia se desentendido com o gordo em outras contendas, e ex chefe da oposição no passado , havia composto com o mesmo, estando tudo em paz e plena harmonia.

A chapa 03 era uma dissidência da chapa 2 , já que era composta por um ex general do gordo e a chapa 5, era de brincadeira e logo foi suspensa da contenda.

O único consolo que o ex advogado teve foi quando soube que a chapa 1, que combate a morosidade judicial, era composta por pessoas que nunca exerceram cargos na OAB MA e que era liderada por um negão, duro na queda, e que RECONSTRUIR É A ORDEM. E que denunciavam juízes que gazeavam o serviço.

Meio desconfiado e sem jeito, o advogado turista rasgou o jornal e tentou comprar outra passagem dizendo que aqui não era São Luís e que houvera descido em local errado. Não dar para acreditar no que estou lendo. Algo está errado. Quer dizer que todos os adversários históricos se uniram e são todos amigos agora? É um vale tudo para dirigir a Ordem? Os discursos e acusações contraditórias acabaram? COMO É QUE É ISSO? Ou é uma piada de mau gosto? Ato continuo chegaram algumas pessoas e vendo o dilema do conterrâneo disseram-lhe o seguinte : ‘’FICA, VOCÊ NÃO ERROU O PERCURSO, O MARANHÃO É AQUI MESMO E NADA MUDOU POR AQUI…’’.

MOZART BALDEZ
Presidente do SAMA

comentários

comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui